Translator / Traducteur / Übersetzer / översättaren / переводчик / 翻訳者

O NOSSO PROPÓSITO

O Capitão Haddock da banda desenhada do Tintin é uma boa caricatura de como se atribui a relação entre o mar e as garrafas ao alcoolismo dos marinheiros. No entanto a relação que mais nos interessa é a de que os marinheiros tinham com as garrafas já vazias. Tal como com o álcool, a atenção requerida pela introdução de modelos de veleiros no interior de garrafas -pelos seus gargalos- fazia-os evadirem-se da sua dura realidade. Ao contrário das fantasias de Baco o resultado desta outra relação era uma fantasia perdurável com um significado quase bíblico, o do buraco da agulha e do camelo.

O Mar das Garrafas será um espaço de divulgação de uma arte que, mais do que uma evasão, constitui um meio de trabalhar a persistência. Aqui apresentarei trabalhos já realizados, outros a realizar, trabalhos de outros, os resultados da minha pesquisa contínua sobre a história e as mútiplas envolvências desta arte, especialmente a das embarcações tradicionais.

sábado, 19 de setembro de 2009

Muleta do Seixal


A muleta é uma das embarcações portuguesas de pesca mais interessantes. Já extinta, era construída na área do Seixal deslocava-se para o oceano junto a Cascais para pescar. A pesca era feita com uma rede de arrasto paralela ao casco, pois a muleta arrastava-a navegando de flanco. Para o poder fazer existiam velas à popa e à ré e tinha um casco côncavo que diminuía resistência à água. Para ter estabilidade usava esparrelas.


 
...

2 comentários:

Luís Sérgio disse...

David !

Mais uma bela e interessante peça.
Acompanhada de um som de piano que ajuda a viajar.
Abraço,

Luís Sérgio

Ana Maria Lopes disse...

Olá:
Ando em falta consigo. Primeiro,quero dar-lhe os parabéns pelo deu blog e acho que faz muito bem divulgar o seu trabalho. Não mais o esqueci desde que conversámos no Museu, na década de 90, enquanto fui Directora daquela instituição.
Para mim, tem sido, uma experiência bastante positiva o meu Marintimidades.Confesso que me leva muito do meu tempo, em trabalhos de pesquisa.
Qualquer dia escrevo-lhe (e-mail) mais detalhadamente. Tenho uma garrafa com a muleta que me havia oferecido o Capitão Weber Bela, familiar que ensinou o Sr. Samuel Corujo. Quando fiz o post sobre ele, também o queria citar a si, mas, muito francamente, não me lembrava do nome exacto, pois uma cassette que me havia deixado, deixei-a, evidentemente, no Museu. Foi agradável contactarmos.
Saudações marinheiras
Ana Maria Lopes