Translator / Traducteur / Übersetzer / översättaren / переводчик / 翻訳者

O NOSSO PROPÓSITO

O Capitão Haddock da banda desenhada do Tintin é uma boa caricatura de como se atribui a relação entre o mar e as garrafas ao alcoolismo dos marinheiros. No entanto a relação que mais nos interessa é a de que os marinheiros tinham com as garrafas já vazias. Tal como com o álcool, a atenção requerida pela introdução de modelos de veleiros no interior de garrafas -pelos seus gargalos- fazia-os evadirem-se da sua dura realidade. Ao contrário das fantasias de Baco o resultado desta outra relação era uma fantasia perdurável com um significado quase bíblico, o do buraco da agulha e do camelo.

O Mar das Garrafas será um espaço de divulgação de uma arte que, mais do que uma evasão, constitui um meio de trabalhar a persistência. Aqui apresentarei trabalhos já realizados, outros a realizar, trabalhos de outros, os resultados da minha pesquisa contínua sobre a história e as mútiplas envolvências desta arte, especialmente a das embarcações tradicionais.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

O Mar dos GIF

 Tive alguns dias livres e pensei em voltar a trabalhar num modelo de uma canoa baleeira que aguarda o seu mar de garrafa à cerca de onze anos. 


 Como não pude dispor de todo o material não consegui realizar o meu intento e fiz o GIF animado que se segue. 



 É um outro mar, cibernético!!! ...Se calhar estou é com medo de enfrentar o facto de, passados onze anos, já usar óculos!

FELIZ ANO NOVO !!! 

P.S.
Quando clicarem em cima das palavras a azul para saberem o que é um GIF animado não deixem de ler o texto do fundador da Wikipedia. A Wikipedia é o maior mar de conhecimento para contribuição e consulta não comercial que existe!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O Mar do Natal






Boas Festas ! 

Joyeux Noël ! 

 Merry Christmas ! 

Frohe Weihnachten !






sábado, 19 de dezembro de 2009

O Mar do Gazela Primeiro


    O Gazela Primeiro, príncipe da  frota bacalhoeira portuguesa entre 1901 e 1961 nas campanhas de pesca  na Terra Nova e na Gronelândia, foi uma das miniaturas que realizei com muito prazer. A garrafa  de corpo com perfil oval pareceu-me muito adequada ao modelo. Em 1989 construí-o à escala 1/180 a pedido do meu pai para uma sua colega, bióloga como ele.


   Em 1971 o Gazela Primeiro foi vendido ao Museu Marítimo de Filadélfia nos E.U.A. e recebeu um novo nome: "Gazela of Philadelphia". O seu carisma único fê-lo protagonizar um importante papel no filme "A Viúva de St. Pierre" (The Widow of  St. Pierre) de que passamos um extracto. Agradecemos ao nosso amigo Cachinare77 ter-se lembrado de o colocar no YouTube.

Os Mares do Museu da Marinha: "PAÍS E EXPORTAÇÃO"

   O Museu da Marinha em Lisboa possui ainda algumas outras boas peças, além da magnífica garrafa de Giovanni Biondo. Hoje apresentamos uma realizada para promover comercialmente os vinhos do norte de Portugal



   Não sabemos qual é a sua datação exacta, mas, devido ao emblema real no gargalo, calculamos que será do fim do Séc. XIX, princípios do Séc. XX.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Oh, My Captain!

Encontrei no YouTube este filme de Ernest Kim que considero muito belo pela sua simplicidade. Trata-se de alguém que tem a construção de barcos em garrafas como passatempo e que decide um dia construir um barco para navegar no mar que vê da janela.



Eu próprio, miniaturista de barcos em garrafas, já naveguei pelo mar exterior ao das garrafas, mas não fiz o barco. Comprei um caiaque numa loja, levei-o para o mar em cima do tejadilho do carro,  não percorri qualquer rota desconhecida, não me esqueci de alguém e aqui estou eu ...um dia vou fazer um!




segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Mar da Cimeira de Copenhaga

Anteriormente tinha publicado um post sobre uma embarcação de carga, híbrida, moderníssima, que tinha uma gigantesca vela aérea como auxiliar do seu motor térmico. Graças ao blogue da APORVELA ficámos a saber que já há quem voltou a usar um velho e muito bonito veleiro como embarcação de carga. Trata-se do patacho  holandês "tres hombres" que se encontra agora em Copenhaga, como símbolo da mudança de práticas para a preservação climática e ecológica.



Talvez valha a pena notar aqui que a arte dos barcos em garrafas é inteiramente ecológica. Nela, apenas se utilizam materiais e objectos já usados e considerados sem préstimo como as próprias garrafas.

domingo, 13 de dezembro de 2009

O lunático dos barcos em garrafas


Clip retirado de One Sick Puppy. Para os amigos mais sensíveis dizemos, desde já, que a garrafa que protagoniza o papel de vítima tem um duplo que doou o seu corpo para o efeito.




quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O Mar do Buddelschiff Museum Neuharlingersiel

Junto ao Elba em Hamburgo, na Alemanha, existe o Museu dos Barcos em Garrafas, o Buddelschiff Museum  Neuharlingersiel. Segundo o seu site tem mais de 250 garrafas com barcos abrangendo três séculos (!!!???). Além destes "mares" o museu exibe ainda  colecções de conchas e antiguidades náuticas. 


Depois da garrafa de Biondo em Lübeck, esta é mais uma razão para ir rapidamente à Alemanha ver maravilhas como o Titanic da fotografia!!!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O Mar das Escunas

Um curioso vislumbre do primeiro festival anual da Escuna em West Grand Traverse Bay, Traverse City, Michigan, E.U.A., em 2009.



sábado, 5 de dezembro de 2009

O Mar da Jangada do Ceará

   As Jangadas dos pescadores do Ceará no Brasil atraíram-me sempre, nunca vi qualquer "mar" com tanto engenho de simplicidade como aquele! Será que os meus amigos do Brasil conhecem alguma garrafa com ele?

   O filme que apresentamos é um documentário, notável, sobre os pescadores da praia de Pecem, litoral do Ceará.



terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O Mar do Nuno Miranda


O Nuno Miranda, na foto, é um dos meus mais velhos amigos e foi com ele que aprendi a apaixonar-me por barcos. 


Em Angola, no Dundo, o mar ficava, a mais de um milhar de kms, em Luanda, onde embarcávamos nos paquetes coloniais para as férias no Puto (Portugal).

 

Os únicos barcos que tínhamos mais perto estavam no rio Luachimo e eram pequenas lanchas a motor. Uma delas tinha sido feita pelo pai do Nuno e  foi palco das mais inenarráveis aventuras!
  

Muito mais tarde, depois do meu regresso do Nordeste da Ilha de S. Miguel, onde vi o meu primeiro mar das garrafas, foi a minha vez de partilhar esta paixão com ele. Alguns dos resultados estão nas fotografias que se seguem:


Escuna americana         

















                                   Xaveco argelino













        
Caravela com pano redondo (portuguesa)                 

    

The lovely bones





No mês de Dezembro um filme com barcos em garrafas nos cinemas!