Translator / Traducteur / Übersetzer / översättaren / переводчик / 翻訳者

O NOSSO PROPÓSITO

O Capitão Haddock da banda desenhada do Tintin é uma boa caricatura de como se atribui a relação entre o mar e as garrafas ao alcoolismo dos marinheiros. No entanto a relação que mais nos interessa é a de que os marinheiros tinham com as garrafas já vazias. Tal como com o álcool, a atenção requerida pela introdução de modelos de veleiros no interior de garrafas -pelos seus gargalos- fazia-os evadirem-se da sua dura realidade. Ao contrário das fantasias de Baco o resultado desta outra relação era uma fantasia perdurável com um significado quase bíblico, o do buraco da agulha e do camelo.

O Mar das Garrafas será um espaço de divulgação de uma arte que, mais do que uma evasão, constitui um meio de trabalhar a persistência. Aqui apresentarei trabalhos já realizados, outros a realizar, trabalhos de outros, os resultados da minha pesquisa contínua sobre a história e as mútiplas envolvências desta arte, especialmente a das embarcações tradicionais.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O Mar de Giovanni Biondo (a garrafa de Lisboa- 1792)

   Nos anos noventa, creio que em 1992, passei muito tempo no Museu da Marinha em Lisboa, Portugal. 




  Acompanhado de dois saudosos amigos que aí trabalhavam, Mestre Luís Marques e Comandante  Raul de Sousa Machado, fiz um dia uma descoberta espantosa nos "Reservados" do Museu . Encontrava-se aí uma magnífica garrafa com uma fragata de guerra no seu interior, sobre o gargalo. Num manuscrito na base da fragata, cujo nome  inscrito no painel de popa era "FAMA", estava escrito:

"Giovanni Biondo Veneto Capitano fecce anno 1792",

ou seja "Giovanni Biondo, Capitão de Veneza, o fez no ano de 1792". Duzentos anos depois de feito, era sem sombra de dúvida o "mar" mais antigo de que tinha conhecimento. Além disso contrariava a ideia muito comum de que esta arte tinha começado no Séc. XIX e que era realizada por simples marinheiros. Este "mar" datava do Século XVIII e tinha sido realizada por um Capitão de Veneza chamado Giovanni Biondo.
  Na altura não sabia que era apenas o segundo mar das garrafas mais antigo, falaremos disso...


3 comentários:

Anónimo disse...

Fantástico David! Gostei imenso do filme e da musica . O que é?

Abraço

Fátima Sá

david disse...

Obrigado, a música chama-se "Canzonetta Di Corte" e é de Ennio Morricone

Luís Sérgio disse...

Um achado excelente.Afinal, esta arte é bem antiga. O vídeo está óptimo. A música é maravilhosa, ajuda-nos a navegar. Parabéns !